DeuZikaChico: o poder da AGI no monitoramento e combate de epidemias como a de Dengue, Zika e Chikungunya

Luiz Henrique de AndradeBrunna de Sousa Pereira AmorimMaxwell Guimarães de OliveiraAndré Luiz Firmino AlvesJosé Nathaniel Lacerda de AbranteDaniel Farias Batista LeiteJúlio Henrique RochaCláudio de Souza Baptista

Com o advento da web social, usuários contribuem ativamentecompartilhando seu conteúdo em vez de simplesmentenavegar na Web. Esses usuários têm se tornado verdadeirossensores humanos através de plataformas colaborativascomo as LBSNs (Redes Sociais Baseadas em Localização),produzindo uma inteligência coletiva na resolução de problemas.Sensores humanos são responsáveis pela produçãode VGI (Informação Geográfica Voluntária) e AGI (InformaçãoGeográfica Ambiental), informações de muita utilidadenos mais diversos domínios de aplicação, como o dasCidades Inteligentes. Esses sensores têm auxiliado na resoluçãodos mais diversos problemas do espaço urbano, contribuindopara a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.Atualmente, o crescente aumento no número de casos dedoenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como aDengue, Zika e a febre Chikungunya, tem levado o Brasile muitos outros países do mundo a um estado de alerta nocombate à proliferação do mosquito. O método de combatemais eficiente na atualidade depende da população tomandomedidas profiláticas, representando um desafio paraas autoridades locais. Neste contexto, este artigo apresentao DeuZikaChico, um arcabouço que faz uso de tecnologiasde geoprocessamento, plataformas m´oveis, crowdsourcing eredes sociais, com o objetivo de propiciar aos gestores públicosum melhor monitoramento de epidemias com o apoioimprescindível da sociedade.

http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/sbsi/2016/050.pdf

Caso o link acima esteja inválido, faça uma busca pelo texto completo na Web: Buscar na Web

BDBComp - Biblioteca Digital Brasileira de Computação
BDBComp
Parceria:
SBC
DeuZikaChico: o poder da AGI no monitoramento e combate de epidemias como a de Dengue, Zika e Chikungunya

Luiz Henrique de AndradeBrunna de Sousa Pereira AmorimMaxwell Guimarães de OliveiraAndré Luiz Firmino AlvesJosé Nathaniel Lacerda de AbranteDaniel Farias Batista LeiteJúlio Henrique RochaCláudio de Souza Baptista

Com o advento da web social, usuários contribuem ativamentecompartilhando seu conteúdo em vez de simplesmentenavegar na Web. Esses usuários têm se tornado verdadeirossensores humanos através de plataformas colaborativascomo as LBSNs (Redes Sociais Baseadas em Localização),produzindo uma inteligência coletiva na resolução de problemas.Sensores humanos são responsáveis pela produçãode VGI (Informação Geográfica Voluntária) e AGI (InformaçãoGeográfica Ambiental), informações de muita utilidadenos mais diversos domínios de aplicação, como o dasCidades Inteligentes. Esses sensores têm auxiliado na resoluçãodos mais diversos problemas do espaço urbano, contribuindopara a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.Atualmente, o crescente aumento no número de casos dedoenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como aDengue, Zika e a febre Chikungunya, tem levado o Brasile muitos outros países do mundo a um estado de alerta nocombate à proliferação do mosquito. O método de combatemais eficiente na atualidade depende da população tomandomedidas profiláticas, representando um desafio paraas autoridades locais. Neste contexto, este artigo apresentao DeuZikaChico, um arcabouço que faz uso de tecnologiasde geoprocessamento, plataformas m´oveis, crowdsourcing eredes sociais, com o objetivo de propiciar aos gestores públicosum melhor monitoramento de epidemias com o apoioimprescindível da sociedade.

http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/sbsi/2016/050.pdf

Caso o link acima esteja inválido, faça uma busca pelo texto completo na Web: Buscar na Web

Biblioteca Digital Brasileira de Computação - Contato: bdbcomp@lbd.dcc.ufmg.br
     Mantida por:
LBD