BDBComp
Parceria:
SBC
Oportunidades de Colaboração Empresa-Universidade, através da Proposição de Suporte a Ambientes Virtuais Multiusuário no Padrão MPEG-4

Glauco TodescoUli RückertRegina Borges Araujo

Um importante catalisador de colaborações entre Instituições de pesquisa e empresas é o processo de desenvolvimento de padrões internacionais. Dentre alguns desses padrões internacionais, o MPEG[1] merece destaque. O grupo MPEG ( Moving Picture Experts Group), formado por especialistas de empresas, pesquisadores de universidades, etc., foi o responsável pelo desenvolvimento dos seguintes padrões internacionais: MPEG-1 ( vídeo interativo em CD-ROM ); MPEG-2 ( televisão digital ); e, atualmente, o MPEG-4, MPEG-7 e MPEG-21 ( padrões relacionados ao suporte de multimídia na WWW ). O processo de desenvolvimento de um padrão como o MPEG-4 começa com a definição dos requisitos que devem ser atendidos no suporte à geração, armazenamento e transmissão de informação multimídia. A partir dos requisitos, especialistas e pesquisadores interessados podem elaborar propostas que são submetidas, analisadas e refinadas a cada encontro do MPEG-4 (que ocorre, em média, a cada 3 meses). Neste processo, os seguintes documentos são gerados, seqüencialmente, antes do estabelecimento de um padrão internacional: WorkDraft, Commitee Draft, Final Commitee Draft, Draft International Standard e, finalmente, o International Standard. O padrão MPEG-4 está, atualmente, aceitando propostas de padronização do suporte a ambientes virtuais multiusuário. Num ambiente virtual multiusuário, múltiplos usuários interagem entre si e compartilham um mesmo ambiente sintético tridimensional gerado pelo computador. A integração da multimídia a ambientes virtuais multiusuário pode contribuir para o aumento do realismo em aplicações do tipo jogos, simulações, educação a distância, treinamento, etc. Como a interação multiusuário não está, ainda, contemplada dentro do padrão MPEG-4, e esta interação vem tornando-se um requisito cada vez mais importante em aplicações para a WWW, uma proposta foi submetida que permite o acesso e controle de uma cena MPEG-4, como parte de um ambiente virtual. Este controle é feito através da extensão das APIs de um outro padrão emergente, denominado MPEG-J [6] que possibilita que uma aplicação ou applets Java, acessem e controlem os componentes de um player MPEG-4 externamente. Esta proposta concentra-se principalmente em sistemas 3D, entretanto a maioria das observações também são verdadeiras para sistemas 2D. A proposta adota uma abordagem flexível de padronização das APIs, que deixa as demais funcionalidades para os implementadores da aplicação. Atualmente, a questão do suporte à interação multiusuário dentro do MPEG-4, encontra-se na primeira fase, que é a da especificação dos requisitos [7]. A proposta enviada ao MPEG suporta quase todos os requisitos listados neste documento de especificação. No momento, está-se trabalhando na implementação das APIs e na especificação de novas APIs que não foram cobertas pela proposta. Este artigo discute os requisitos de aplicações de ambientes virtuais multiusuário integrados a multimídia, bem como a proposta que foi elaborada e enviada ao grupo do MPEG-4 [2], e que resultou, até o momento, em pelo menos duas propostas de colaboração internacional entre o grupo da universidade que submeteu a proposta e empresas participantes do processo de padronização do MPEG-4.

http://www.inf.aedb.br/download/biblio/sbc2000/eventos/semish/semi006.pdf

Caso o link acima esteja inválido, faça uma busca pelo texto completo na Web: Buscar na Web

Biblioteca Digital Brasileira de Computação - Contato: bdbcomp@lbd.dcc.ufmg.br
     Mantida por:
LBD