Redes oportunistas são uma das evoluções mais interessantes de MANETs, onde permitem diversas aplicações, como em descarregar o tráfego celular, comunicações em situações emergência e contorno a censura. O crescente aumento de dispositivos móveis deve, em tese, promover redes oportunistas. Porém, na prática, as tecnologias atuais para redes oportunistas, como Wi-Fi ad-hoc, Bluetooth e Wi-Fi Direct, ou não são disponíveis nos dispositivos atuais, ou exigem interação indesejada do usuário para estabelecer conectividade. Para superar essas deficiências, propomos uma arquitetura que utiliza o modo infraestrutura do Wi-Fi, de forma que promova a comunicação entre os dispositivos, permitindo a troca transparente de conteúdos sem a interação dousuário. Duas aplicações que empregam o uso dessa arquitetura são apresentadas. A primeira, de dispositivos pessoais, mostrou-se escalável em testes com até nove dispositivos. A segunda, de veículos, mostrou-se viável quando aplicada em cenários com baixa velocidade, gerando uma baixa perda de pacotes e altas taxas de transmissão.

http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/sbsi/2015/049.pdf

Caso o link acima esteja inválido, faça uma busca pelo texto completo na Web: Buscar na Web

BDBComp - Biblioteca Digital Brasileira de Computação
BDBComp
Parceria:
SBC
Redes oportunistas são uma das evoluções mais interessantes de MANETs, onde permitem diversas aplicações, como em descarregar o tráfego celular, comunicações em situações emergência e contorno a censura. O crescente aumento de dispositivos móveis deve, em tese, promover redes oportunistas. Porém, na prática, as tecnologias atuais para redes oportunistas, como Wi-Fi ad-hoc, Bluetooth e Wi-Fi Direct, ou não são disponíveis nos dispositivos atuais, ou exigem interação indesejada do usuário para estabelecer conectividade. Para superar essas deficiências, propomos uma arquitetura que utiliza o modo infraestrutura do Wi-Fi, de forma que promova a comunicação entre os dispositivos, permitindo a troca transparente de conteúdos sem a interação dousuário. Duas aplicações que empregam o uso dessa arquitetura são apresentadas. A primeira, de dispositivos pessoais, mostrou-se escalável em testes com até nove dispositivos. A segunda, de veículos, mostrou-se viável quando aplicada em cenários com baixa velocidade, gerando uma baixa perda de pacotes e altas taxas de transmissão.

http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/sbsi/2015/049.pdf

Caso o link acima esteja inválido, faça uma busca pelo texto completo na Web: Buscar na Web

Biblioteca Digital Brasileira de Computação - Contato: bdbcomp@lbd.dcc.ufmg.br
     Mantida por:
LBD